Histórico

    Procura


Arquivo da categoria ‘Made in RumblePack’

Lógica: SingStar Portugal Hits tem trailer para que possam ver o trailer do jogo que já compraram
Por: abul-fadl nadr al-atrabulusi | 4 de Dezembro de 2010 às 13:21

Se bem se recordam, a Sony Portugal gastou na nota de imprensa do SingStar Portugal Hits uma quantidade absurda de parágrafos para dizer que o dito cujo iria ter, imagine-se o espanto, músicas portuguesas de vários géneros musicais.

Perante esta informação avassaladora, impossível de ser descortinada pelo comum dos mortais apenas pela leitura do título do jogo, é claro que não havia espaço de manobra para indicar na referida nota de imprensa um artista que fosse que estaria presente no jogo.

Então quando é que a Sony Portugal decidiu revelar a lista de músicas presentes? No próprio dia do lançamento do jogo. E o trailer? Nove dias depois do seu lançamento.

httpv://www.youtube.com/watch?v=pBTvmVzAGaE

Aviso: O Rumble Pack não modificou a primeira música do trailer só para fazer pandan com o post onde revelámos em primeira mão o jogo como SingStar Música Pimba.  Trata-se de marketing pautado na lógica e fundamentado na razão, percebam como Sony Portugal manja por demais.

Serviço público: sugestão para o Rambo dos Cafés
Por: abul-fadl nadr al-atrabulusi | 3 de Dezembro de 2010 às 12:37

Os verdadeiros nintendistas tugas perceberão de imediato todo o alcance. Os demais istas terão de esperar pelo post-bomba.

Rúbrica: Rumble Pack responde
Por: abul-fadl nadr al-atrabulusi | 27 de Novembro de 2010 às 19:02

Diogo Ribeiro (Juxtapixel) pergunta algures nas internetes sobre o seguinte vídeo:

[youtube]RULv6HbgEjY[/youtube]

Call of Duty: Black Ops. Hardened difficulty. Not one single shot fired in the very first level, unless demanded by game scripting, with the AI doing the job. What does that say about current videogame design?

Rumble Pack responde…

Afinal de contas, estamos na era dos altes gráfiques onde…

Ainda bem que neste tempo onde anda por aí uma cambada de “developeres” Hollywood wannabe que infestam os videojogos com cutscenes, história e character development, existem os achivments para nos relembrarem que estamos a jogar um jogo. Em certos títulos, faz toda a diferença.

Art Academy: uma aventura no Museu Colecção Berardo
Por: vnobre | 25 de Novembro de 2010 às 10:02

Se o objectivo da imprensa é providenciar um olhar crítico sobre determinado evento ou produto, sois todos vítimas de um engodo macabro onde os sites noticiosos portugueses, num ímpeto carnavalesco, se mascararam de gira-discos.

Não descorando da forte utilidade de um gira-discos munido de gravador de cassetes, ajusto a gravata vermelha para vos relatar a verdade dos faCtos sobre o seguinte evento nintendista:

Local: CCB – Museu Colecção Berardo
Objectivo: Apresentação do jogo da aplicação Art Academy da Nintendo.
Cobertura jornalística imparcial do Rumble Pack: Vanessa Nobre e Melanie Romão, duas ilustradoras que foram do blog do cascalho durante algumas horas.

Rumble Pack @ Apresentação Nintendo Art Academy

MUE DUES, um altar NDS!

Ler o resto »

Exclusivo mundial: Análise gamística a GT5
Por: abul-fadl nadr al-atrabulusi | 21 de Novembro de 2010 às 15:04

EXCLUSIVO MUNDIAL

Depois da Phenthouse portuguesa ter sido a primeira publicação mundial a analisar o GT5 (tendo levado 5/5, logicamente) na sua edição de estreia saída em Outubro, o Rumble Pack tem o prazer de ser o primeiro media gamístico (especializado em videojogos) a avançar com uma análise ao Jogo do Milénio. O único detalhe que nos diferencia da Phenthouse, é que nós experimentámos o jogo.

Para experimentar o jogo mais aguardado de sempre, o nosso conceituado jornalista emogrumpyuke deslocou-se para fora da sua casa em direcção a um local realmente secreto — esqueçam a casa secreta da Playstation montada a propósito do lançamento do Move em Portugal que tinha tanto de secretismo que todos os jornalistas a encontraram.

Depois do nosso calejado jornalista ter testado exaustivamente a build final do The Real Driving Simulator durante 3 ou 4 minutos na passada sexta-feira, enviou-me de seguida um sms com a sua ponderada e detalhada análise, atentem.

Nave, experimentei agora o GT5. Grande bug logo ao inicio com pista invisível. Carros continuam sem fazer um esforço para se desviarem.

Em suma, emogrumpyuke alerta-nos para a necessidade de estarmos preparados para um jogo de simulação automóvel perfeito. É bom saber que, apesar de ter estado tantos anos em desenvolvimento, Gran Turismo continua a ser Gran Turismo. Louvemos por DUES Yamauchi não se ter esquecido do método.

Assim, de forma absolutamente equidistante e reflectida, Gran Turismo 5 sai do Rumble Pack com a nota 1000,0/1000.

NEVER FORGET, SONYISTAS!

PÉ NA PORTA! — Análise à lá site tuga de videojogos
Por: abul-fadl nadr al-atrabulusi | 19 de Outubro de 2010 às 19:47

fdhfghgfhfhgfhsrfdasdgdfgdfhgd copy3 PÉ NA PORTA!    Às aranhas...

Em Portugal ainda se gastam parágrafos e parágrafos e parágrafos nas análises para contar histórias da carochinha. Todos parecem ter uma enorme necessidade de demonstrar que possuem um enorme e-penis sobre videojogos e que percebem bué da coisa.

É o caso da análise ao jogo WRC no Eurogamer.pt. Uma pessoa descuida-se e ainda pensa que acabou de entrar nalgum site sobre Ralis em vez de videojogos. Eu que comecei a ler no feed a análise, ainda vacilei se não estaria perante um especial sobre o campeonato do mundo de Ralis a propósito do lançamento do jogo WRC. Mas não — trata-se apenas de mais um exemplar das máCgicas tecnics que os tugas arranjam para falar sobre jogos: inventam histórias (gigantes) da carochinha até começarem a falar do que todos querem saber: e o jogo, presta?!

Feita a pausa no EurogamerPT para escreverem por eles próprios a análise ao WRC…

Also: Joguei WRC para PC ontem. Joguinho mais imundo, o Algarve não é assim. Há estradas de terra batida a entrar pela Via do Infante a dentro, é que nem sei o que é que pode haver para dizer mais sobre este jogo. Nota 0/10000 pela total falta de respeito demonstrada para com o Algarve, nem se dignaram a fazer o parque de estacionamento do estádio como deve ser. Triste.

Pic via [ Rumble Pack fan page @ Facebook ]

Wii AM CRY: Singstar Portugal Hits vem aí
Por: abul-fadl nadr al-atrabulusi | 30 de Setembro de 2010 às 17:32

Revelado pelo Rumble Pack no passado dia 15 deste mês, a Sony Portugal veio ontem, dia 29, confirmar a existência de um Singstar dedicado à música portuguesa — Singstar Portugal Hits.

Confirmada a existência do jogo, o passo seguinte na cabeça de todas as pessoas é saber, afinal de contas, que hits serão esses. Felizmente, a Sony Portugal preparou uma nota de imprensa que transpira informação da mais fina nata no que à sua importância e pertinência diz respeito, atentem de forma bastante concentrada.

TODOS OS ÊXITOS QUE SEMPRE QUISESTE TER NO TEU SINGSTAR JUNTOS NUM SÓ DISCO

(…) desta franchise que apenas contempla cantores e bandas nacionais, no melhor da música Portuguesa.

(…) e só há lugar para quem gosta de cantar em Português.

Vamos poder encontrar no Singstar Portugal Hits os mais diversos estilos musicais nacionais.

Imagina os grandes clássicos da música portuguesa, de todos os géneros, lado-a-lado com os êxitos
mais recentes.

(…) permite cantar as canções dos teus intérpretes favoritos juntamente com os seus vídeos.

uma grande variedade de géneros musicais.

Se dúvidas havia que Singstar Portugal Hits permite cantar músicas de cantores e bandas nacionais de diversos géneros musicais, elas foram desfeitas. E quando assim é, quando as pessoas ao lerem uma nota de imprensa saem mais esclarecidas e informadas do que antes de a lerem, é porque a betoneira está a ser bem manuseada — ou algo assim.

O jogo chega algures em Novembro à Playstation 3 e Playstation 2. Vários analistas imaginários contactados pelo Rumble Pack referem que com esta cartada por parte da Sony Portugal, a Wii prepara-se para ser humilhada durante a época natalícia que se avizinha. A causa desta humilhação é o Tony Carreira pois, segundo os analistas, «o Tony Carreira manda o balanço todo». Daqui, parece efectivamente que estamos perante um faCto.

Afinal a Blueshark não morreu, ficou só mais pequena
Por: abul-fadl nadr al-atrabulusi | 16 de Setembro de 2010 às 00:19

Calma galera, afinal de contas o processador CELL não resolve todos os problemas da humanidade, tio Kutagão nos enganou!

Resposta do processador CELL para a extinção dos dinossauros,
um exemplo de como nem sempre se pode confiar no super chip.

Parte da mensagem foi mal desencriptada, o que foi o suficiente para não ficar totalmente bem contada. Tiago Carita saiu de caneta na mão (salvo seja) colocando os pontos nos “is” e já revelou a verdade dos faCtos. O que aconteceu não foi uma falência, mas sim um redimensionamento da Blueshark que implicou o fecho do estúdio em Alfragide. Significa isto que a sede em Carnaxide vai continuar viva. E vivo é o contrário de estar morto, faCto!

Leiam com os vossos olhos e aprofundem a verdade!

A empresa encontra-se em dificuldade desde que terminaram os grandes projectos externos da GI, que coincide com o apertar da crise internacional. (…) O que acontece é que não existe grande mercado de jogos em Portugal para um outsourcer de arte como nós, os nossos valores pela especialização e qualidade são altos cá dentro mas somos pequenos demais para operar lá fora onde que nos exigem redundância dos recursos.
O que nos aconteceu é que por razões de custos e dificuldade de arranjar trabalho continuo tivemos que reduzir drasticamente o tamanho e fechamos o estúdio que tínhamos em Alfragide, a empresa mantém-se a operar a partir da sede em Carnaxide que é bem mais pequena e os elementos que a compõem também são menos.

Uma empresa como a nossa, pequena, sem capitais exteriores ou de risco, tem de se reinventar para se manter no mercado, esta decisão de downsizing foi muito difícil de tomar, mas é um mal necessário para mais tarde podermos voltar a ter os lucros de à 5 anos atrás.

São os negócios, o fluxo e o refluxo da reinvenção quando no nosso quintal temos piscinas com água em vez de dinheiro. Antes assim do que estarmos agora a escolher o caixão.

P.S. – A vindima é algo sério onde vivo e provavelmente derivado ao elevado cheiro a vinho que paira no ar, associei o jogo do Cristiano Reinaldo como feito pela Blueshark. Tiago Carita, da Blueshark, foi o responsável pelo desenho do gameplay e conteúdo bem como de toda a arte durante a fase de pré-produção e de concepção. O jogo foi produzido pela YDreams. Assim é que é, corrijam no vosso cérebro os danos que causei!

BOMBA-BIMBA: Blueshark deu o berro?
Por: abul-fadl nadr al-atrabulusi | 15 de Setembro de 2010 às 02:00

Vejam esta notícia actualizada aqui.

Mais uma vez, um vasto conjunto de tecnologia de ponta ao serviço do Rumble Pack (como por exemplo, diversos processadores CELL), está na origem da descodificação de uma informação até agora encriptada. A descodificação de diversos bits & bytes da mensagem secreta revela que a produtora portuguesa de videojogos Blueshark Studio foi à vida.

A BlueShark é conhecida em particular pelo jogo de futebol do Cristiano Azeite Reinaldo, Cristiano Ronaldo Underworld Football.

Tiago Carita, da Blueshark, foi o responsável pelo desenho do gameplay e conteúdo do jogo Cristiano Ronaldo Underworld Football, bem como de toda a arte durante a fase de pré-produção e de concepção. O jogo foi produzido pela YDreams.

[youtube]leTd5ezvPJE[/youtube]

Desconhece-se as razões para a alegada falência, mas certamente não terá sido pela empresa andar a nadar em dinheiro.

Depois da revelação na edição da semana passada do Expresso de graves dificuldades financeiras por que atravessa a também portuguesa Real Time Solutions (jogos casuais, etc, somos hardgamers, não precisam saber que jogos fizeram), a coisa parece estar preta para o que no futuro pode vir a ser em Portugal uma indústria de videojogos fantasma.

O Rumble Pack contactou a Blueshark Studio para uma confirmação oficial ou um desmentido. Caso haja resposta, a situação será actualizada.

P.S. – Sim, este post é um rumor e é baseado numa dica vinda de uma fonte anónima credível.

SingStar “Música Pimba” para breve?
Por: abul-fadl nadr al-atrabulusi | 15 de Setembro de 2010 às 00:55

Segundo um vasto manancial de tecnologia extremamente sofisticada que monitoriza o Rumble Pack, foram detectadas as chefias sonyistas portuguesas a matutar fortemente na seguinte imagem criada pelo nosso Alarka, com o intuito de encontrarem soluções para estancarem a hemorragia que a Playstation está a sofrer na última Sonyland do antigo Império.

O resultado de tanto matutanço consubstanciar-se-á brevemente com o anúncio do SingStar – Música Pimba. Ou melhor, SingStar – Música Portuguesa Popular, ou algo assim, chuto. Esperam-se grandes intérpretes nacionais como Tony Carreira, Carlos Paião, Ágata, entre outros vultos assombrosos do mesmo calibre.

A confirmar-se o que a tecnologia que monitoriza este vosso blog indica, Sofia Tenreiro poderá mesmo processar a Sony Portugal por “Passaram-me a perna e isso é feio”. Como se devem recordar, a Microsoft Portugal anunciou em 2008 aos microfones do Rumble Pack, que se encontrava em negociações para o Lips, um clone do Singstar mas com gráficos inferiores, passar a ter disponível músicas portuguesas.

Depois de duras negociações ora já não tivesse passado 2 anos desde que a Microsoft as iniciou e que, certamente (obviamente, mas é claro, nem outra coisa me passa pela cabeça), já estavam em curso aquando da pergunta feita sobre as músicas portuguesas no Lips, vir a Sony Portugal do nada e colocar os portugueses a cantar Tony Carreira… sinceramente, feio!

P.S. – Sim, este post é um rumor. Fonte anónima confiável.